Infância e Adolescência

Pais muito tolerantes

terça-feira, 9 junho , 2015

Crianças são extremamente inteligentes e, muitas vezes, os pais não se dão conta da capacidade que elas têm de manipulá-los a favor de interesses próprios.

pais muito tolerantes

Não são poucos os artigos escritos sobre a dificuldade dos pais em dar limites tendo como consequência a má educação da criança e prejuízos a sua formação.

Apesar da busca incessante por uma literatura que os oriente e os leve a certa compreensão das causas que facilitam uma criança ou um jovem a apresentar comportamentos inadequados, na maioria das vezes, na prática, não há mudanças.

Não é fácil mudar o modo como as pessoas se relacionam porque grande parte do que acontece numa relação tem a ver com uma forma muito particular de pensar a vida, suas facilidades e dificuldades. Por exemplo, se um adulto não lida bem com frustrações é muito provável que venha a ter dificuldade em dizer “alguns nãos” que seus filhos precisariam ouvir.

Pais e mães precisam reconhecer o seu modo de funcionamento! É o primeiro passo para buscar melhor qualidade na relação familiar e, ao mesmo tempo, oferecer um espaço onde o filho possa ter bons instrumentos e crescer com qualidade de vida psíquica.

Comecemos por uma pequena investigação: o que sabe a criança? Certamente mais do que os pais imaginam ou querem imaginar.

Crianças são extremamente inteligentes e, muitas vezes, os pais não se dão conta da capacidade que elas têm de manipulá-los a favor de interesses próprios.

Crianças são também muito sensíveis e perceptivas e logo percebem quando precisam se sujeitar ao desejo dos seus pais para não sofrer castigos e perdas dolorosas.

Usei dois extremos para mostrar que uma criança se constitui a partir da demanda da família. Ela será fruto da idealização dos pais e é difícil romper com qualquer um desses ou outros modelos de educação. Na maioria das vezes, a tentativa de saída é o adoecimento psíquico: dificuldades na escola, comportamento agressivo em casa ou na rua…

Talvez pudéssemos pensar as crianças e a forma como se constituem se pensarmos os pais.

O que são pais? Pretendo apresentar alguns dos modelos de pais que temos presentes na nossa sociedade.

 

PAIS MUITO TOLERANTES: Não constroem junto à criança regras e limites apropriados. Esses pais demoram a agir diante de uma ação do filho. Alguns comportamentos infantis necessitam de uma reação onde não há espaço para a tolerância.

Exemplo: a criança bate nos pais e estes não reagem e não tomam nenhuma providência porque acham que ela “ainda é muito pequena e não sabe o que está fazendo”. Será? E, se realmente ainda não sabe, é preciso dar a ela, neste exato momento, a chance de saber que não pode agir daquela forma. Como? Por exemplo, segurando a mão da criança e lhe dizendo que não gostou e que ficou triste; que, mesmo que ela não esteja satisfeita com alguma coisa, não pode bater; ou que, mesmo que ela bata, não conseguirá o que deseja.

Pais muito tolerantes normalmente acham que a atitude ou o comportamento da criança ou do jovem é uma fase passageira! É preciso pensar que muitas vezes não passa, apenas apresenta-se com novas roupagens. Isto é, de acordo com a idade as investidas vão se tornando mais elaboradas, mas a essência continua a mesma.

Os pais também costumam procurar na sua própria infância ou adolescência uma justificativa para a sua passividade ou demora em agir

“Ah, você não lembra como eu era?”, “Você nunca fez isso na idade dele?”, “É criança!”, “É coisa de jovem, daqui a pouco ele amadurece!”. Atenção! Se você usa expressões como essas com frequência, seria bom reavaliar a forma como vem pensando a educação dos seus filhos.

 

Leia também:

– Pais Permissivos

– Pais Superprotetores

 

Assuntos Infância e Adolescência

   Acompanhe no Facebook.

 

 

contato@monicadonettoguedes.com.br

 

Avenida das Américas, 500, bloco 8, sala 212
Downtown – Barra da Tijuca

Rio de Janeiro, RJ.

21 2494 5508

Receba nosso informativo gratuitamente:

© 2015 Monica Donetto Guedes | Web design: O Tao do Site